Qual a Relação entre Potência e Precisão nas Carabinas?

potencia vs precisão carabinas de pressão

Muita gente comenta hoje em dia que carabinas de pressão de Alta Potência, principalmente da classe Magnum, não tem precisão.

Essa afirmação não é verdadeira. Existem várias springers dessa classe de potência que são bastante precisas. Porém, para que fique bem claro, precisamos explicar alguns pontos.


Começamos esclarecendo o que são springers Magnum:

Quanto à energia

– a classificação Magnum é atribuída às armas de pressão por ação de mola e pistão que produzem energia maior do que 23J (17 ft-lb).

Quanto à velocidade

– para o calibre 4,5 mm, a velocidade aferida com chumbinhos de 7,7 grains (0,5 grama) está acima de 304m/s (1000 fps);

– para o calibre 5,5 mm, a velocidade aferida com chumbinhos de 15,43 grains (1,0 grama) está acima de 215 m/s (705 fps).

Esclarecimentos quanto à precisão dessa classe de springers se fazem necessários principalmente quanto ao calibre 4,5 mm.

A zona de turbulência para os projéteis geralmente está acima da velocidade do som. Este valor está na faixa de velocidade mínima das springers Magnum calibre 4,5 mm com chumbinhos de 7,7 grains ou mais leves.

Sendo assim, é necessário que, para este calibre, se use sempre chumbinhos com peso maior do que 7,7 grains, sendo recomendados os de peso em torno de 10 grains. A intenção é sempre manter a velocidade abaixo de 305 m/s.

Testes com carabinas de mola, pistão e também PCP comprovam que a melhor precisão se obtém com velocidades abaixo de 290 m/s (950 fps).

Portanto, springers Magnum são precisas quando a velocidade inicial do projétil permanece na faixa de velocidade abaixo de 305 m/s, sendo mais indicado não ultrapassar 290 m/s. A forma de obter isso é com o uso de chumbinhos de peso adequado.

No entanto, existem outros fatores que interferem na precisão das carabinas de pressão Magnum, que é o excesso de potência.

No caso das springers, não deve ultrapassar 35 Joules (26 ft-lb) para 5,5mm e 29 Joules (21 ft-lb) para 4,5mm.

Então o primeiro passo ao escolher uma carabina de pressão Springer Magnum é evitar as que produzem velocidade e energia demasiadamente altas.

Porém, existe também o fator chamado ‘acuidade’ que se refere ao controle da arma pelo Atirador, ou seja, o fator humano.

Quanto maior for o recuo da arma, mais difícil será o seu controle. Em muitos casos é este fato que leva muitos a dizerem que Springer potente não é precisa.

Outro ponto importante a ser avaliado é a engenharia da arma. Existem armas de mesma potência com recuos muito mais fortes. Isso além de prejudicar os tiros, danificam lunetas e outros tipos de miras óticas.

Uma observação quanto ao recuo é que ele é mais forte nas armas calibre 4,5 mm. O recuo excessivo ocorre sempre em armas com cilindros mais longos e com molas muito fortes.

Nesses casos, a precisão pode ser prejudicada no ponto que o chumbinho inicia seu movimento no cano. Isso acontece devido à taxa de compressão.

Além disso, algumas são tão extremas que o esforço para engatilhar é muito grande. Na minha opinião, essas devem ser evitadas.

Como ponto positivo, “Springers Magnum de qualidade” se destinam a tiros nos alcances acima de 50 metros sem necessitarem muita compensação da visada e os chumbinhos desviam menos em função do vento.

Concluindo, a qualidade é fundamental e no caso das springers Magnum é imprescindível.

Atire para acertar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *